Pussy Riot confirmadas em Paredes de Coura

  

Pussy Riot

O grupo punk político é a mais recente confirmação no festival que se realiza de 15 a 18 de agosto. Uma contratação verdadeiramente histórica.

O número de membros foi sempre uma variável das Pussy Riot. Fundado por Nadya Tolokonnikova em 2011, em Moscovo, o elenco rotativo de músicos e artistas chegou a contar com 11 ativistas nos seus protestos. Apresentações provocadoras, e não autorizadas, em locais públicos, como forma de promover a igualdade de género, os direitos LGBT e a oposição clara ao presidente russo, Vladimir Putin e às elites russas.

Protestos que lhes valeram, e valem, uma série de condenações: Maria Alyokhina e Nadezhda Tolokonnikova cumpriram pena de 21 meses de prisão após uma apresentação em 2012; Alyokhina foi detida em agosto de 2017 na cidade siberiana de Yakutsk, após um protesto contra a prisão do cineasta ucraniano Oleg Sentsov; este ano, dois membros desapareceram na Crimeia e reapareceram depois interrogados pelas autoridades.

Seis anos depois das primeiras condenações, o colectivo continua a revolta contra o regime de Putin e expandiu a sua ira até Donald Trump, como é visível no single "Make America Great Again" do EP, "XXX", lançado em 2016.

Ao vivo, Pussy Riot, apoiam-se fortemente no electro rap e nas coreografias artísticas. Mas, como afirma Nadya, o objetivo vai além do entretenimento, com a vontade de ter "consequências mais profundas."

Descobre mais sobre este festival em: https://www.paredesdecoura.com/